Nunca estamos satisfeitos, pois não?

10:00


Quando somos pequenos perguntam-nos o que queremos ser quando formos grandes, as nossas respostas variam a maioria das vezes entre sonhos difíceis de alcançar... Quem nunca disse que queria ser astronauta ou actriz de Hollywood?

Conforme crescemos tornamos-nos mais individualizados e a nossa resposta começa a ser cada vez mais próxima da realidade: queremos ser professores para ajudar todas as crianças, médicos para salvar vidas, jornalistas porque gostamos de escrever...

Construímos todo um percurso que nos leva aquele objectivo específico, vamos imaginar que seria trabalhar na revista x.

O que é que acontece quando lá chegamos e ao final de algum tempo não estamos satisfeitos? Mudamos tudo e tentamos encontrar um novo objectivo e concretiza-lo, e se isso não nos satisfazer, novamente, será que somos nós que temos algum problema?

Já disse várias vezes no blogue que não sentia que tivesse um grande plano para minha vida, pequenos objectivos sim, mas o "é isto que vou fazer o resto da vida" não tenho.



É algo que me tem invadido o pensamento, serei eu eternamente insatisfeita? Será errado não saber o que quero fazer todos os dias o resto da minha vida? Não será mais interessante a descoberta e a busca por algo que nos complete a 100%?

As histórias de encantar acabam sempre com um "e viveram felizes para sempre" mas afinal o que isso significa? Ficaram sentados no Castelo a ser felizes até que a morte chegasse? Nossa que trágico! Gosto de pensar que foram tendo várias aventuras, viagens e descobertas e que isso sim os completou e foi isso que os fez felizes para sempre.

A pressão de ter que encontrar algo, trabalho ou relação, que nos preencha e faça felizes é demasiado. Devíamos focar-nos em ser felizes ao máximo na viagem, não acham?

You Might Also Like

4 comentários

  1. Eu nunca quis ser astronauta nem actriz de hollywood. Agora sinto-me excluída da sociedade

    ResponderExcluir
  2. Devemos sempre andar em busca dos que nos faz 100% felizes e nos satisfaz plenamente. Se não for à primeira, terá que ser à segunda. Encontrámos uma coisa que achámos que nos completa mas passado algum tempo vemos que não nos diz nada? Há que mudar, procurar algo que nos faça feliz. Não é uma questão de "nunca estarmos satisfeitos" mas sim "andar à procura de coisas que nos fazem felizes" :)

    Visitei o teu lugar por acaso mas gostei do que li. Vou começar a seguir-te!

    Beijinhos,
    Ricardo
    (www.opinguimsemasas.blogspot.pt)

    ResponderExcluir
  3. O que acontece e que nos imaginamos um destino para o futuro que raramente será o nosso futuro. Idealizamos algo tudo perfeito mas esquecemo nós que na viagem da vida existem altos mas também baixos :)
    E sem os baixos para enfrentarmos os altos não poderiam ser recompensados :)
    Eu estou numa fase que não gosto do meu caminho, nem satisfeita com o meu trabalho nem com relação hihihihi, mas penso que neste momento baixo o alto que vier a seguir vai recompensar tudo anteriormente :)
    Pensa assim que será algo mais fácil de resolver :)
    Beijinhos

    ResponderExcluir

Like us on Facebook